Março de 2020 foi um mês que trouxe muitas incertezas para a economia do Brasil. A pandemia da COVID-19 nos impôs o fechamento de muitos setores, e a hotelaria foi pega de surpresa. Muito além de perdas financeiras, de reservas, de empregos, de oportunidades, o setor fechou literalmente suas portas. Uma cena trágica, triste e impensável.

 

E foi assim que o prédio que habita o Hotel Sonata de Iracema, (bucólico, Cearense, iluminado e repleto de estórias), também foi fechado e um sentimento de medo se instalou.

Em 15 anos, nem um dia sequer as portas do Sonata haviam sido fechadas. Aliás, entrar pela porta deste hotel é encontrar paixão, amor e acolhimento. Sem sombra de dúvidas é um lugar especial que quando a gente põe o pé, não queremos ir embora.

 

Existe essência, alma e coração. Existe trabalho e valores sólidos transbordados por uma gente que trabalha fazendo o que ama, e por mais que nos hospedemos em muitos outros hotéis mundo afora, sempre damos um jeito de voltar no Sonata.

Seja para conversar com as pessoas, tomar um café, comer um pedacinho de rapadura, realizar eventos e se hospedar para contemplar a beleza única e charmosa da praia de Iracema.


O Hotel Sonata , é muito mais que um hotel. O Sonata é “meio” que a casa da gente, porque é feito de pessoas que lhe recebe de coração aberto e um sorriso largo no rosto. O Sonata é sol, é praia, é diversidade, alegria, cultura, música, arte, pintura e poesia. E agora que o momento é de reencontro, a gente vai poder voltar para esse lugar único, simples que revela beleza nos pequenos detalhes.


Por hora, eu sei que não dá para abraçar, apertar a mão e beijar, mas as portas do Hotel Sonata estão abertas com todo o cuidado e amor do mundo e isso já é motivo de celebração. Se você vier para Fortaleza, não perca a chance de vivenciar todas as coisas boas da vida, sentindo-se em casa no Sonata.

 

Simone Moura
CEO Ping Pong Estratégia
(cliente, parceira e apaixonada pelo hotel)